segunda-feira, 17 de julho de 2017

FEBRE AMARELA- NOVAS RECOMENDAÇÕES



PEDIATRIA E ARTE
FERNANDO AZEVEDO

FEBRE AMARELA- NOVAS RECOMENDAÇÕES

Todo o esforço de Oswaldo Cruz no início do século XX para a erradicação da Febre Amarela no Rio de Janeiro, enfrentando protestos da população e de políticos, e saindo vitorioso com a erradicação do Aedes Aegypti volta a ser um problema e agora não só naquele estado, mas praticamente em todo o Brasil. As novas recomendações do Ministério da Saúde são de vacinas a população do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Roraima, Rondônia, Tocantins, Mato Grosso, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Piauí, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O nordeste é poupado não se sabe até quando. O Aeddes Aegypti (o mesmo da Dengue, Chikungunya e Zica) são responsáveis pela transmissão da doença nas cidades e os Haemagogus e Sabethes nas matas, na Febre Amarela silvestre sendo observado a morte de macacos o grande reservatório do vírus. Toda a população fixa e de viajantes deve ser vacinada. Algumas exceções, no entanto devem ser observadas:
1.       A idade recomendada é a partir dos 9 meses e excepcionalmente aos 6 meses.
2.       Não vacinar portadores de imunodeficiências primaria ou secundárias como os que estão em químico ou radioterapia, em uso do corticoide por tempo prolongado, historia pregressa de doenças do timo (Miastenia gravis. Timomas), ALERGIA GRAVE A OVO, Não vacinar gestantes nos três primeiros meses, mães que estão amamentando (durante um período de 15 dias após vacinação). Se possível coletar o leite e congelar para oferta nesse período, alguns cuidados com idosos acima dos 60 anos
3.       Não vacinar simultaneamente com outras vacinas de vírus vivos atenuados como os da Poliomielite injetável, Sarampo, Caxumba e Rubéola, Varicela. Fazer um intervalo de trinta dias para aplicar a de Febre Amarela.
4.       NOVOS CONCEITOS – Basta uma dose para imunizar por toda a vida e não se deve fazer repetição de dez em dez anos como antes.
5.       SEGURANÇA DA VCINA – Totalmente segura, apenas podendo haver reações leves, banais.
Esse ano teve o registro de 707 casos com 275 mortes. No inverno os mosquitos não ficam em grande atividade, mas no verão com calor e umidade eles fazem a festa.
Prevenir sempre e esses mosquitos não sairão mais do Brasil mesmo fazendo delação premiada.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

PEQUENA PAUSA



PEDIATRIA E ARTE
FERNANDO AZEVEDO
PEQUENA PAUSA

Há 26 anos em Julho dou uma paradinha para um breve repouso de duas semanas. Não chamo de férias porque paro para uma vida doméstica familiar em São Paulo onde revejo filha, genro e netos. Nada que se assemelhe a turismo e sim repouso não remunerado, cobertores e edredons, conversas (já foram melhores antes dos i-pads e i-phones) colocando assuntos em dia. Reparos no consultório do desgaste de um ano com pintura e outras coisinhas mais. Não se recomenda a médico, pausas de mais de 15 dias, sobretudo a cirurgiões. O mesmo acontece com músicos que por isso levam sempre seus instrumentos (dependendo de qual) para continuarem se exercitando, pois de outra forma as habilidades ficam mais lentas. Julho é um encontro família e depois mais 15 dias que serão em Setembro para ir ver meus encantos em Portugal com uma viagem a Valencia iniciando o tour. Terra das bonitas mulheres, das flores e jardins como diz a letra da música Valência. Depois Lisboa e Porto e nessa região ver Marco de Canavezes e Várzea de Ovelhas lugar de nascimento de Carmen Miranda a nossa maior artista ainda hoje. Carmen veio para o Brasil com dois anos e nunca trocou cidadania. Adorava o Brasil, mas manteve sua nacionalidade portuguesa por toda a vida. Em Portugal comer meu bacalhau uma a duas vezes ao dia e depois na volta dosar se maltratei muito meu fígado e rins que ficam com inveja do meu estômago.
De São Paulo volto dia 23 de Julho. Até lá, e permanecem ligados o e-mail e o Zap. Disponham.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

VIOLÊNCIA



PEDIATRIA E ARTE

FERNANDO AZEVEDO

Hoje não escrevo. Transcrevo o texto de ANTONIO MARCIO LISBOA, meu querido Professor de Pediatria no Hospital dos Servidores do Estado- RJ – onde fiz Residência Médica. Desde 1967 é Pediatra e Professor em Brasilia e aos 90 anos continua em plena atividade e me ensinando
O AUMENTO CRESCENTE E INCONTROLAVEL DA VIOLÊNCIA É O MAIOR PROBLEMA DO PAÍS. MAIOR QUE DESEMPREGO, INFLAÇÃO, LAVA JATO, DELAÇÃO PREMIADA. MAIOR QUE QUALQUER OUTRO PROBLEMA.  OS ÓRGÃOS DE SEGURANÇA ESTÃO PERDIDOS. HOMICIDIOS EM 2016, MAIS DE 50.000. 2017, EM BRASÍLIA, NO SEMESTRE? ROUBO DE CARROS MAIS DE 1500, ESTRUPOS, MAIS DE 300;  ROUBO DE CELULARES E ASSALTOS A PEDESTRES, MAIS DE 3000. SAIR A PÉ, EM PRATICAMENTE TODAS AS CAPITAIS, É UMA ATIVIDADE DE ALTO RISCO. PRESÍDIOS, LOTADOS. A SUPERLOTAÇÃO OBRIGA A SEREM LIBERTADOS INDIVÍDUOS DA MAIS  ALTA PERICULOSIDADE. REVOLTANTE AS CENAS DE MULHERES VIOLENTADAS E ASSASSINADAS; DE JOVENS ASSASSINADOS FRIAMENTE SEM NENHUM MOTIVO. POR PURA MALDADE.  EM QUASE TODOS FILMES DE VIOLÊNCIA SÃO ENFATIZADOS ASPECTOS RELACIONADOS A INFÂNCIA DOS CRIMINOSOS COMO CAUSA DETERMINANTE. E O QUE FAZEMOS? COLOCAMOS CADA  VEZ MAIS POLICIAIS NA RUAS, PRENDEMOS CRIANÇAS, CONSTRUIMOS MAIS PRESÍDIOS, COMBATEMOS O NARCOTRÁFICO, O CONTRABANDO DE ARMAS. CONTINUAMOS DIZENDO QUE PRECISAMOS ACABAR COM A IMPUNIDADE E VAMOS, RAPIDAMENTE, CAMINHANDO PARA O CAOS. E A MÍDIA? VEM DENUNCIANDO, CULPANDO AS AUTORIDADES E DEFENDENDO MAIS POLICIAMENTO, MAIS PRISÕES, TUDO AQUILO QUE VEM SENDO FEITO, HÁ MAIS DE 100 ANOS, E NÃO TEM FUNCIONADO. PREVENIR (P) A FORMAÇÃO DE  INDIVIDUOS COM COMPORTAMENTOS ANTISSOCIAIS  PRECISAMOS DOS PAIS (P) , PROFESSORES (P), PSICOLOGOS (P) , PEDIATRAS (P)  E NÃO DA POLICIA (P). VEJAM A AIMPORTÂNCIA DA LETRA P.  E SERÁ QUE NÓS PEDIATRAS ESTAMOS CUMPRINDO NOSSO PAPEL. SERÁ QUE DESCONHECEMOS QUE FOI UM PEDIATRA, FRANCO VAZ, QUE, EM 1914, NOS ALERTAVA SOBRE AS MEDIDAS A SEREM TOMADAS, AINDA NA INFÂNCIA, RELACIONADAS   A BOA  FORMAÇÃO DOS CIDADÃOS PARA QUE SE CONSEGUISSE DIMINUR OS EPISÓDIOS DE VIOLÊNCIA? COM TRISTEZA, AS MEDIDAS POR ELE PRECONIZVAVA FORAM ESQUECIDAS, ATÉ POR NÓS PEDIATRAS. E AS QUE ELE CONDENAVA, COMO AQUELAS RELACIONADAS AO ENCARCERAMENTO DE CRINAÇAS, FORAM IMPLANTADAS. EM OUTUBRO TEREMOS O CONGRESSO BRASILEIRO DE PEDIATRIA. MILHARES DE PEDIATRAS DISCUTINDO TEMAS DE IMPORTÂNCIA EM RELAÇÃO À SAÚDE E BEM ESTAR DAS CRIANÇAS. OCASIÃO EXCELENTE PARA ALERTAMOS    QUÃO IMPORTANTE O NOSSO PAPEL NA PREVENÇÃO DA FORMAÇÃO DE INDIVÍDUOS COM COMPORTAMENTOS ANTISSOCIAIS . VAMOS DESEMPENHAR BEM NOSSO PAPELCOMO O  DOS COLIBRIS TENTANDO APAGAR INCÊNCIOS NAS FLORESTAS.  E QUANDO FORMOS  PERGUNTADOS  SE, REALMENTE,  NÓS  ACREDITAMOS QUECONSEGUIRÍAMOS DIMINUIR A VIOLÊNCIA , VAMOS DAR A RESPOSTA DOS COLIBRIS. ESTAMOS FAZENDO A NOSSA PARTE. ANTONIO MARCIO JUNQUEIRA LISBOA, UM COLIBRI DE 90 ANOS
Que chegue ao Governador de Pernambuco essa leitura aoa anunciar o aumento da força policial no estado e a compra de centenas de veículos. Quanto desvio de finalidade.


terça-feira, 27 de junho de 2017

AS FESTAS JUNINAS E A “IMPORTAÇÃO” DE ARTYISTAS



FERNANDO AZEVEDO

Li vários relatos no Facebook dos próprios artistas prejudicados e de internautas sobre a invasão do nosso território junino por artistas que nada tem a ver com os nossos festejos. A lesão é dupla: em primeiro lugar nós temos um celeiro de grandes talentos que atuam em pequenos ou grupos maiores que da para fazer um mês inteiro de palco sem repetição de estilos. A lesão maior é a formação de uma geração alienada que prefere os safadões aos gonzagões. A culpa única e exclusiva é da prefeitura de cada cidade que promove festas juninas, pois contratam artistas por um preço alto ou altíssimo esgotando a verba para pagar os nossos que ficam meses sem receber o seu cachê suado, quando recebem. Ah! Por que não se rebelam e se negam a trabalhar? Fazem isso porque precisam dos nossos palcos e têm direito a eles e se negarem as exigências e o calote aí é que se queimam mesmo e perdem a vez. Não há dívida que tem maracutaia com empresários como já foi fartamente demonstrado. A abertura do carnaval do Recife com o espetáculo magistral de maracatus comandados por Naná Vasconcelos tinha em seguida a abertura oficial com Marisa Monte, Elza Soares, Maria Betânia. Ora pelo amor de Deus, com todo respeito e admiração que tenho por esses cantores qual a razão deles tomarem o lugar dos nossos?  Claro que tem toma lá da- cá. Estamos em Junho e conversei recentemente com um dos maiores talentos musicais do mundo, um grande artista recifense, que ainda não recebeu o cachê do carnaval. Durante a pífia administração atual, não houve mais o Concurso de Músicas Carnavalescas que é de lei. Tem que haver. E assim não se revelam novos compositores e não se renova o repertório. As festas juninas tem um período ainda maior de duração sendo Caruaru seguido de Gravatá recentemente, o maior polo de atrações. Não duvide que com a quantidade de programas de gastronomia na televisão em breve queiram importar “chefs” para substituir nossa canjica, pamonha e pé de moleque por hamburgers e substituírem os tabuleiros e barracas por food truckers. Chega! Quem quiser ouvir safadões e sertanejos aguardem outra época e apresentações de capital privado, mas não com dinheiro do nosso IPTU e outras taxas e taxas. Empresário cobre o que quiser e quem gostar que vá, mas a praça é do povo e os patrocinadores dessas festas não podem querer mudar nossas tradições.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

UM BRASIL PASSADO A LIMPO


FERNANDO AZEVEDO

O nome do blog PEDIATRIA E ARTE destina-se a falar principalmente sobre esses dois temas. A arte, no entanto é uma coisa muito ampla, infinita mesmo e abordo hoje a ARTE DE VOTAR. Para os cabeças preta posso dizer que evoluímos. A época das urnas já prontas acabou por exemplo. O famoso voto de curral onde as cédulas eram dadas aos eleitores na hora da votação, a compra deslavada de votos ficou para trás. Comenta-se hoje fraude nas urnas eletrônicas e elas podem existir mesmo, mas acredito que não haja tanta importância no resultado final. Nesse oceano de lama quem sobra? Deveria sobrar o poder judiciário, mas estamos assistindo o triste espetáculo de ministros que já ganham uma fortuna terem cursos paralelos, esposas em escritórios de destaque para defesa de criminosos de gravata, juízes nomeados pelo Presidente da República que claro ficam a dever favores. O poder executivo e legislativo ficou tão corrupto que os bons políticos, os bons homens públicos e conheci muitos aqui e alhures, dele se afastaram para dar lugar a essa corja que vai ocupando tudo, de municípios paupérrimos a estados mais afortunados. Todo nosso patrimônio sendo surrupiado. Nosso dinheiro não cai mais nas mãos dos velhos aposentados ou põe comida na boca das crianças e lhes retira o lápis e o caderno, num plano diabólico de não permitir que se informem que se aperfeiçoem em conhecimentos que possam colaborar para o crescimento de uma cidadezinha ou de uma nação. A nossa responsabilidade é enorme nas próximas eleições. A internet nos da a oportunidade de expulsarmos esses salafrários através de grupos de pesquisa de idoneidade dos candidatos. Eles já sofrem a hostilidade popular e não gozam mais a liberdade de andar pelas ruas ou frequentarem um restaurante por exemplo. Estão presos mesmo sem cadeia ou tornozeleiras e precisam agora do abandono e esse abandonado jamais receberá adoção. Como sou uma pessoa de fé e que amo minha pátria desde o mais pobre rincão, sem nenhuma obrigação de votar mais pela idade que alcancei, vou até numa ambulância do SAMU eleger pessoas dignas e lutar para a expulsão dos ladrões do Brasil. Temos um ano e meio pela frente e essa campanha precisa começar logo selecionando os inaceitáveis em cada município, estados e região. Fiscalizar os poderes legislativo e executivo com rigor e torcer para que copiem no judiciário o exemplo do maior juiz de todos os tempos: o inatacável Dr. Sergio Moro que no Brasil e no exterior recebe as homenagens e a esperança de dias melhores para esse povo brasileiro sofrido e explorado, mas capaz de como Fenix, ressurgir das cinzas que servirão de adubo para novas gerações.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

EU NASCI HÁ DEZ MIL ANOS ATRÁS



FERNANDO AZEVEDO

O nome do meu blog PEDIATRIA E ARTE foi inspirado na paixão que nutro pelas duas coisas. Atender crianças praticamente 24 horas por dia desde que nasceu o i-phone e o zap não me cansa, e ao contrário me entusiasma a ler e estudar mais. A arte também é outra atividade que admiro muito, sobretudo a música (não a atual em todo o mundo), mas o artesanato seja ele qual for, o artista malabarista que se apresenta no sinal fechado, a pintura e por ai vai. A arte é aquilo que lhe emociona, tudo que lhe faz bem, o que o deixa de boca aberta imaginando como se conseguiu realiza-la Fui ao Rio de Janeiro mais uma vez e somente por um fim de semana. Fui conhecer então o MUSEU DO AMANHÃ. Fiquei encantado com a recuperação de todo o entorno da Praça Mauá, local que frequentei bastante, pois fiz residência médica no Hospital dos Servidores do Estado bem próximo a ela. Era uma área desde os anos 60, degradada e violenta. Recebíamos o conselho ao chegar, para nas folgas andar sempre com o jaleco do hospital por mais segurança. Mais voltemos ao Museu Do Amanhã. Não me tocou. Continuo sem gostar do “futurismo”, da arte contemporânea, da arte abstrata e por ai vai. Nada me diz. Tirando a Catedral com sua forma e maravilhosos vitrais, Brasília não me diz nada, enquanto o Pelourinho e o Recife Antigo não canso de olhar. O Theatro Municipal, A Biblioteca Nacional, faziam da Avenida Rio Branco uma Paris. Em nome do futuro foi quase tudo abaixo e até o Senado, o Palácio de Monroe foi demolido. Obras de arte trocadas por edifícios sem a menor beleza. Vem então minha admiração quando viajo à Europa e ando pelas ruas de todos os países que visito.  Arte em toda parte. Cidades destruídas foram recompostas em parceria com a modernização que vai se tornando necessária, sobretudo na área de locomoção. Estão lá as lindas praças e galerias, bondes, etc. e aí concluo que realmente o meu museu é o do passado. Defino mesmo que “nasci há dez mil anos atrás” sem a pretensão de Raul Seixas ao dizer na frase seguinte “e não há nada nesse mundo que eu não saiba de mais”. Nisso tenho a convicção que cada dia sei menos e que a vida é um aprendizado diário e que por mais títulos que se tenha, não se sai do menino do Jardim de Infância na vida.