segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

MOLUSCO CONTAGIOSO


FERNANDO AZEVEDO

O assunto de hoje no PEDIATRIA E ARTE é para relatar um fato acontecido com uma criança minha cliente para os quais sou Pediatra e Advogado. Rábula e nem dos bons, mas exerço a função. Início de ano escolar, matrícula na natação, compra de todos os itens tipo calção, touca etc. Ao chegar à piscina foi barrada por apresentar MOLUSCO CONTAGIOSO. Entenda o trauma. O choro, a decepção, o dano causado na cabeça desse pirralho. Como uma criança que está ótima, não sente nada, está ávida para a experiência pela expectativa causada e de repente lhe barram os passos e ela volta frustrada e chorando para casa. Ora bolas, MOLUSCO CONTAGIOSO é uma doença besta, assintomática, não representa nenhum problema de saúde publica, não é doença de notificação obrigatória, podendo aparecer essas “bolinhas” em qualquer parte da pele, menos nas palmas das mãos e sola dos pés. A maior parte das crianças é imune a essa doença banal. A maior parte dos casos está entre crianças de 1 a 4 anos, mas vai até a adolescência. Tem cura espontânea dentro de um ano ou pouco mais. O contágio é de pessoa a pessoa nesse agarra agarra saudável da escola e da infância. Também toalhas, roupas, pranchas no caso da natação (cada um pode ter a sua assim como a toalha). Às vezes a localização é em regiões mais expostas tipo face, pálpebras chegando a incomodar física e emocionalmente.Se proíbem uma criança de nadar em uma piscina deveriam também proibi-la de ir ao colégio, pois o contagio é muito maior. Já pensou examinar diariamente 3.000 alunos desses colégios grandes ou centenas dos menores todo dia para ver se tem o TERRÍVEL MOLUSCO? Um exame médico para uma pessoa entrar numa piscina beira piada. Já pensou as piscinas públicas? Haja emprego. Um atestado de saúde dado hoje com validade de 3 a 6 meses , kkkkkkkk. Uma piscina tem que ser cuidada. Maioria usa cloro (mais barato) que tem que estar na quantidade certa, pois o excesso provoca irritação em pele e mucosas e os alérgicos sofrem muito com isso e por isso não se usa em algumas. Tem que ter o pH ideal, pois a acidez ou alcalinidade permite crescimento de algas, tem que ter precipitantes para manter a água sempre azul e límpida. Cuidei de piscina mais de 30 anos sob orientação de Paulo Costa Rego querido amigo e profissional do ramo. A água é fonte de saúde e de doença. Cuide mal dela e verá as consequências. As piscinas é que devem ser visitadas pela Vigilância Sanitária e não as crianças serem inspecionadas se podem ou não entrar nelas. Voltando ao MOLUSCO o tratamento é banal, curetando-se a lesão ou usando uma agulha para retirar o material caseoso que fica dentro da mesma e usar álcool iodado. Tá resolvido. Dói uma besteira, crianças maiores colaboram e existem pomadas anestésicas que se usa com meia hora de antecedência para diminuir a dorzinha de nada. Em regiões sensíveis como falei acima, faz-se em sala cirúrgica sob sedação. Não causem decepção a crianças. Molusco na pele sai rápido. Na cabeça....

Um comentário: